Identidade feminina


Antes de falarmos sobre identidade feminina precisamos inicialmente entender o que vem a ser identidade. Durante nossa vida assumimos diferentes identidades em diferentes momentos, algumas delas entram em conflito dentro de nós e nos empurram de um lado para o outro o que deixa nossa identificação continuamente sendo modificada.


Na filosofia contemporânea a identidade é o entendimento do nosso corpo no tempo e no espaço (ou seja quem é você aqui e agora, hoje neste lugar), de acordo com nossas crenças (eu acredito que é assim que deve ser, ou, é assim que as coisas funcionam), nosso conhecimento global (todo o seu conhecimento adquirido durante a vida em todas as áreas da vida) e nossa capacidade de realizar (nossa forma de agir).


Desta forma para conversarmos sobre identidade precisamos considerar todos esse aspectos, crenças, conhecimento e atitudes. Ao falarmos especificamente sobre identidade feminina precisamos refletir quais crenças você tem relacionada as mulheres? Sobre o seu papel enquanto mulher? O seu papel diante da sociedade e do mundo que ainda hoje é extremamente patriarcal? O que você, enquanto mulher, pensa de fato sobre esses aspectos?


Quando vamos refletir sobre essas questões não podemos fazê-la de forma aleatória, para tanto é necessário parar, voltar um pouco no tempo e relembrar, como era a sua relação com as mulheres que vieram antes de você; com as quais você convivia; especialmente as mais próximas; dentro da sua casa. como você se relacionava principalmente com a sua mãe? Daí então passamos a analisar como essas relações anteriores influenciaram na sua relação com outras mulheres, na forma como você enxerga e pensa a mulher nos dias de hoje.


Ainda no mundo de hoje é possível perceber muitos comportamentos de competitividade entre as mulheres, rixa e agressividade umas com as outras. É comum a gente escutar ainda hoje músicas que acabaram de serem lançadas e que estimulam a rivalidade entre mulheres. Você já parou pra se perguntar o que você pensa sobre isso?


Você acredita verdadeiramente que é possível existir um sentimento de irmandade, de igualdade, de cordialidade entre mulheres, principalmente sem se conhecerem? Sem ser entre mulheres com as quais você já mantem laços de afetividade, mas com aquelas que você acabou de conhecer.Você acredita que é possível existir essa relação de sororidade entre as mulheres ? Quanto desse seu pensamento veio influenciado pelas suas relações anteriores entre mulheres que vieram antes de você?


Precisamos refletir sobre nossas relações do passado para analisar nossas crenças de hoje sobre as mulheres e seu papel no mundo moderno.

Em estudo realizado na cidade satélite de Ceilândia no DF, disponível na plataforma Sielo, sobre identidade feminina; mulheres foram questionadas sobre o que viria a ser a identidade feminina e então a pesquisa concluiu através dos relatos das próprias mulheres que estas possui uma identidade multitarefa, das quais se destacam as seguintes funções que foram constantemente relatadas: ser mulher é ser mãe, esposa, filha, dona de casa e trabalhadora. Destas cinco funções a que mais se repetem nos relatos são as de mãe e esposa.


O casamento foi citado pelas mulheres do estudo como sendo uma instituição importante por proporcionar a alegria da maternidade. Porém traz com ele uma dualidade de identidade, ao mesmo tempo que a mulher casada pode ter a alegria de se tornar mãe passa a ter as limitações das funções de esposa, trazendo um constante conflito interno entre essas duas identidades na mulher.


A pesquisa afirma ainda que mesmo no mundo de hoje com a mulher podendo assumir diversas funções e diversos papéis sociais fora de casa, fora do ambiente domiciliar, ela não perde a função de mãe nem de dona de casa,o que faz com que a mulher acumule uma série de funções e obrigações que a identificam mulher mas ao mesmo tempo a levam a exaustão.


Mas aqui chegamos a mais um ponto de reflexão, é necessário que você enquanto mulher viva em exaustão? É necessário que você assuma todas essas funções pra sua vida? Existem muitas mulheres que não querem assumir a função de mãe, existem mulheres que não querem assumir a função de esposa como também existem mulheres que não querem assumir a função de trabalhadoras e está tudo bem! Não há nada de errado nisso,cada ser é um ser único e trás consigo, na sua essência a sua identidade que a faz sentir feliz e satisfeita quando realiza aquilo com que ela realmente se identifica.


Como saber, então com o que eu me identifico? Para que eu saiba com o que eu realmente me identifico, preciso me conhecer, saber qual o meu perfil, quais são as minha habilidades e competências, não as que disseram pra mim que eu tinha, mas reconhecer as que eu realmente apresento, não o que disseram pra mim que eu gostava, mas o que realmente eu me identifico. Bem como preciso saber também, quais habilidades eu não possuo o que eu faço por que determinaram pra mim , mas não é o que eu gosto de verdade. Ou ainda identificar quais habilidade eu preciso trabalhar e desenvolver para conquistar o que eu quero na minha vida.


Tudo parte do desenvolvimento do autoconhecimento, é a partir do momento que você percebe quais são as suas competências e habilidades e relaciona com as crenças que você traz para a sua vida, que você vai conseguir determinar o que realmente quer para a sua vida. É onde você vai conseguir se encontrar e ser feliz. Apesar da sociedade identificar a mulher com uma série de funções a sua identidade enquanto mulher está em você! Você deve fazer uma auto analisar e se perceber enquanto mulher.

Quem é você enquanto mulher nesse mundo?


Pra esta questão não existe uma resposta certa ou errada. Existe apenas mulher que você descobriu ser.


E aí,


Vamos conversar?


Se você já passou ou está passando por um período de crise de identidade ou se já conseguiu se descobrir enquanto mulher, e quiser compartilhar e discutir conosco a respeito do assunto, registre-se e vá para o Nosso Espaço de socialização assim irá contribuir e estará estimulando a reflexão do tema e o desenvolvimento mútuo.


Mas se você tem questões mais íntimas que precisa conversar de maneira reservada, ou está procurando ajuda para se encontrar, se desenvolver e alcançar os resultados esperados, só chamar chat ou WhatsApp e fazer seu agendamento.